INICIO > ESPÉCIES DO BRASIL > GAVIÃO-DE-ASA-LARGA  

Gavião-de-asa-larga
Buteo platypterus (Vieillot, 1823)

Ordem: Accipitriformes
Família: Accipitridae
Grupo:
Gaviões-planadores

Nome em inglês: Broad-winged Hawk
Habitat:
Florestas, borda de matas e savanas.
Alimentação:
Roedores, répteis e invertebrados.

Distribuição no Brasil:


Status: (LC) Baixo risco
Migrante do Hemisfério Norte


Indivíduo adulto. Manaus/AM, Dezembro 2011
Foto:
Beatriz Cirino

Vocalização de chamado (A) - (gravado por: Allen T. Chartier)

• Descrição: Mede de 34 a 41 cm de comprimento, peso de 420 g (macho) e 490 g (fêmea) (Márquez et al. 2005). O adulto possui plumagem marrom escura na parte dorsal, sendo mais escura nas partes mais próxima da ponta das asas; píleo, nuca e laterais da cabeça rajada de castanho e branco, partes inferiores e peito de coloração branco-creme rajado transversalmente de marrom. Jovem é similar ao adulto, apresenta parte dorsal mais salpicada de castanho e marrom. Existem também os indivíduos melânicos nessa espécie, mas são raros, geralmente apresentam coloração preta com íris castanha, cera e tarsos amarelos (Márquez et al., 2005; del Hoyo et al, 1994).

• Alimentação: Alimenta-se de mamíferos, de répteis, de anfíbios e de caranguejos; caça a partir de um poleiro (Fergunson-Lees e Christie, 2001).

• Reprodução: O ninho é uma pequena base côncava de gravetos em partes baixas das árvores. Coloca de dois a quatro ovos, com de incubação de 28 a 30 dias. Os filhotes saem do ninho com 5 a 6 semanas de idade, ficando nos arredores até 8 semanas. Na América do Norte, corvos e outras aves de rapina, como a B. virginianus, são predadores frequentes dos ovos e filhotes (Fergunson-Lees e Christie, 2001).

• Distribuição Geográfica:
Espécie migratória oriundo do hemisfério norte. No verão é encontrado nos EUA, México e países da América central, e no inverno migra para o sul do México até os países da América do Sul. Muitas populações do gavião-de-asa-larga no Caribe não migram (Fergunson-Lees e Christie, 2001). No Brasil, boa parte dos registros são no norte do país (Stotz, 1992), contando também com um registro no sul (Meller & Bencke, 2012).

• Subespécies: São reconhecidas seis subespécies, B. p. platypterus: subespécie com hábitos migratórios, encontrada do centro e sul do Canadá até o sul do Estados Unidos. B. p. cubanensis: Cuba. B. p. brunnencens: Porto Rico. B. p. insulicola: Antigua (Antillas Menores). B. p. rivierei: Dominicana, Martinica e Santa Lucía (Antillas Menores). B. p. antillarum: São Vincente, Granada até Tobago (Del Hoyo et al. 1994).

• Hábitos/Informações Gerais: Migrante oriundo do hemisfério norte, vive em bosques semiabertos, florestas e borda de matas. Predador pequeno, mas corpulento, com asas largas e pontiagudas e cabeça pequena. Voa em bandos durante a migração (Fergunson-Lees e Christie, 2001). No Brasil é pouco documentado, talvez por ser confundido com outros gaviões buteonines comuns, como o gavião-carijó (R. magnirostris).

• Movimentos migratórios: Migratório oriundo da América do Norte, o B. platypterus tem como destino final a floresta amazônica e as florestas da América Central. Migra em bandos de centenas a milhares de indivíduos e permanece nas áreas de invernagem solitário. Dessa forma, é possível encontrar tanto bandos numerosos em migração quanto indivíduos solitários em seu destino final. Os bandos começam a adentrar o norte do Brasil entre o final de setembro e as primeiras semanas de outubro, onde permanecem até meados de março e abril. Além disso, alguns indivíduos ultrapassam a região amazônica e aparecem como vagantes no sul e sudeste do Brasil, com registros esporádicos no Maranhão, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul (Naumburg, 1930; Pacheco & Parrini, 2000; Santos et al. 2010, Meller & Bencke, 2012).


Indivíduo adulto. Manaus/AM,
Dezembro de 2011.
Foto:
Bertrando Campos

Indivíduo jovem alimentando-se de anuro. Porto Velho/RO, Março de 2010. Foto: Felipe Pinto

Indivíduo jovem.
Presidente Figueiredo/AM, Dezembro de 2008. Foto: Robson Czaban

 



:: Página editada por: Willian Menq em Mai/2016. ::


• Referências:

Del Hoyo, .J., Elliot, A. E Sargatal, J. Handbook of the birds of the world (2 v). Bird Life International Lynx Editions, 1994. 638p.

Douglas F. Stotz, R. O. Bierregaard, Mario Cohn-Haft, Peter Petermann, Jan Smith, Andrew Whittaker and Summer V. The Status of North American Migrants in Central Amazonian Brazil. Wilson 1992.

Ferguson-Lees, J. e D. A. Christie (2001) Raptors of the World. New York: Houghton Mifflin Company.

Márquez, C., Gast, F., Vanegas, V. & M. Bechard. 2005. Aves Rapaces Diurnas de Colombia. Bogotá: Instituto de Investigación de Recursos Biológicos Alexander von Humboldt. 394 p.

Meller, D. & Bencke, G. A. (2012) First record of the Broad-winged Hawk Buteo platypterus in southern Brazil, with a compilation of published records for the country. Revista Brasileira de Ornitologia, 20(1), 75­80

Naumburg, E. M. B. (1930). The birds of Matto Grosso, Brazil. Bulletin of the American Museum of Natural History,60:1-432.

Pacheco, J. F. & Parrini, R. (2000). Aves do Estado do Rio de Janeiro: Região meridional do vale do rio Paraíba do Sul – retificação de limites e complementação dos registros inéditos mais antigos. Atualidades Ornitológicas,95:12-13.

Santos, M. P. D.; Cerqueira, P. v. & Soares, l. M. S. (2010). Avifauna em seis localidades no Centro-Sul do Estado do Maranhão, Brasil. Ornithologia,4:49-65

Stotz, D. F.; Bierregaard Jr., R. o.; Cohn-Haft, M.; Petermann, P.; smith, J.; Whittaker, A. and Wilson, s. v. (1992). The status of North American migrants in central Amazonian Brazil. Condor, 94:608-621

• Site associado: Global Raptor Information Network (em inglês)

 

• Citação recomendada:

Menq, W. (2016) Gavião-de-asa-larga (Buteo platypterus) - Aves de Rapina Brasil. Disponível em: < http://www.avesderapinabrasil.com/buteo_platypterus.htm > Acesso em: