INICIO > ESPÉCIES DO BRASIL > SOVI-DO-NORTE  

Sovi-do-norte
Ictinia mississippiensis (Wilson, 1811)

Ordem: Accipitriformes
Família: Accipitridae
Grupo:
Gaviões-milano

Nome em inglês: Mississippi Kite
Habitat:
Florestas, borda de matas e savanas.
Alimentação:
Invertebrados.

Ocorrência provável no Brasil:



Status: (LC) Baixo risco
Migrante do Hemisfério Norte


Indivíduo adulto. Jangada/MT. Agosto de 2005.
Foto:
Juan Mazar-Barnett

Vocalização de chamado (B) - (gravado por: Robin Carter)

• Descrição: Mede 36 cm de comprimento, peso de 216-269 g (macho) e 278-339g (fêmea) (Márquez, et al. 2005). Adulto apresenta plumagem cinza claro, com o alto da cabeça quase branco, dorso cinza mais escuro e cauda longa e preta que faz contraste com a faixa clara transversal da parte superior das asas. Essa faixa é a característica que melhor o identifica, sendo visível mesmo à distância; íris vermelho-escuro, e silhueta com asas longas e pontiagudas. O jovem possui faixas claras na cauda escura, e rêmiges escuras (Márquez, et al., 2005; Antas, 2005).

• Alimentação: Alimenta-se quase exclusivamente de insetos que caça em voo (representando quase 90% de sua dieta), também preda pequenos lagartos e aves. Ocasionalmente, segue o gado nos pastos e incêndios para capturar presas acuadas, como ratos, anfíbios e répteis (Antas, 2005; Márquez, et al., 2005).

• Reprodução: Coloca de 2 a 3 ovos brancos, com período de incubação de 30 dias (Márquez, et al., 2005). Os filhotes saem do ninho com aproximadamente 35 dias, permanecendo nos arredores e sendo alimentados pelos pais. Migratório, se reproduz no Hemisfério Norte (do centro dos Estados Unidos até a Flórida). No período reprodutivo é muito agressivo, podendo inclusive atacar animais, como cães e gatos, através de voos rasantes até acuá-los da área do ninho (Antas, 2005).

• Distribuição Geográfica: Migratório, durante o período reprodutivo ocorre no sul e leste dos Estados Unidos (Arizona, Kansas, Illinois, Missouri e Kentucky até Carolina do Sul), e durante o período de invernagem migra para a América Central e do Sul, indo até a Argentina, Paraguai e pantanal do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul (Sick, 1997; Ferguson-Lees e Christie, 2001).

• Hábitos/Informações Gerais: Habita florestas ripárias, savanas, pradarias e bosques de áreas urbanas. Normalmente é visto sobrevoando áreas abertas, ou posado no alto de árvores. Gregário, circula em correntes ascendentes em grupos de 25 ou mais indivíduos (Antas, 2005; Olmos, et al., 2006). Rich et al. (2004) estima o tamanho populacional da espécie em 190 mil indivíduos, baseado principalmente em extrapolações de trabalhos com a reprodução da espécie.

• Movimentos migratórios: Entre os meses de setembro e outubro a espécie sai de suas áreas reprodutivas na América do Norte e migra para a Argentina, Paraguaí e pantanal do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, onde permanece de novembro a março. Durante a jornada de migração, bandos formados por milhares de indivíduos (1 a 5 mil ind.) cruzam a América Central e a região amazônica, passando pelo Acre, oeste do Amazonas e noroeste de Rondônia (normalmente passando nas primeiras semanas de outubro).



Bando com centenas de indivíduos em voo.
Jangada/MT. Agosto de 2005.
Foto:
Juan Mazar-Barnett

Indivíduo jovem em voo.
Rosário Oeste/MT, Novembro de 2010.
Foto:
Dalci Oliveira

 

:: Página editada por: Willian Menq em Fev/2016. ::



• Referências:

Antas, P. T. Z. (2005) Aves do Pantanal. RPPN: Sesc.

Ferguson-Lees, J., and D.A. Christie. (2001) Raptors of the world. Houghton Mifflin, Boston, MA.

Márquez, C., Gast, F., Vanegas, V. & M. Bechard. (2005) Aves Rapaces Diurnas de Colombia. Bogotá: Instituto de Investigación de Recursos Biológicos Alexander von Humboldt. 394 p.

Olmos, F., Pacheco, J.F. e Silveira, L.F. (2006) Notas sobre aves de rapina (Cathartidae, Accipitridae e Falconidae) brasileiras. Revista Brasileira de Ornitologia 14 (4) 401-404.

Rich T.D.; Inigo-Elias E; Kennedy JA; Martell AM; Panjabi AO; Pashley DN; Rosenberg KV; Rustay M; Wendt JS; Will TC; Beardmore CJ; Berlanga H; Blancher PJ; Bradstreet MSW; Butcher GS; Demarest DW; Dunn EH; Hunter WC. (2004) Partners in Flight North American landbird conservation plan. Cornell Lab of Ornithology. Ithaca, New York.

Sick, H. (1997) Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro. Ed. Nova Fronteira.

• Site associado: Global Raptor Information Network (em inglês)

 

• Citação recomendada:

Menq, W. (2016) Sovi-do-norte (Ictinia mississippiensis) - Aves de Rapina Brasil. Disponível em: < http://www.avesderapinabrasil.com/ictinia_mississippiensis.htm > Acesso em: